sexta-feira, 27 de maio de 2016

PARABÉNS pelo 4º aniversário!


Faz 4 anos que dei início a este blog.

Está de Parabéns o "Oriente versus Ocidente"

Vim apaixonada da viagem à Tailândia e criei este blog para ir mostrando o Oriente, através do meu olhar... 
no ano seguinte fui ao Vietname e assim fui contando histórias das minhas viagens pela Ásia. 

É verdade que o blog está parado desde Janeiro de 2015 - no ano passado não festejei o seu 3º aniversário, passou despercebido - mas hoje sem querer vim rever algumas coisas e apercebi-me do seu 4º aniversário.

Manter vários blogues ao mesmo tempo dá muito trabalho, daí que... algo fica para trás - aliás, este blogue tem tido muito poucas visitas, apenas tenho um fã incondicional do Oriente, o Amigo Paulo, do "Intemporal" que vinha assiduamente visitar e deixar um comentário.

Tenho tantas coisas a agradecer. 

Mas hoje não vim falar de números, de seguidores, de visitas e comentários, no entanto seria mentira dizer que isso não é importante.
É mesmo muito importante, para os que visitam e para mim!

Vim abrir o meu coração para agradecer, para dizer o quanto esta data é especial.

Exactamente há quatro anos atrás, no dia 27 de Maio de 2012, eu criei sozinha este novo blogue.  

Ah, eu só sabia que queria falar sobre as minhas viagens ao Oriente - as minhas experiências por lá, aventuras da minha vivência.

Partilhar tudo aquilo que tanto amo e me faz bem. 
Quero dividir um pedacinho do meu coração aqui, com vocês. 

O que mais me orgulhou foi um dos meus posts ter sido muito útil ao amigo Paulo, que quis, numa das suas inúmeras viagens a Banguekok, reservar um quarto no mesmo hotel onde fiquei, pois o post que fiz sobre o mesmo, deixou-o encantado.

Oh como foi bom saber que serviu para alguma coisa, aquilo que aqui partilhei.

E este amor que tenho por tudo que publico aqui, que compartilho com vocês, é imenso. 

Hoje volto a publicar algo sobre o Oriente, neste caso, o Vietname - os seus extensos campos de arrozais.




De seguida, partilho imagens do Antigo Palácio Presidencial ou Palácio da Reunificação – Uma bela construção, cercada por jardins, actualmente aberto apenas para visitas. 
No interior do palácio, percorri todas as salas, que são decorados com sofisticados lustres e móveis da época.
O Palácio da Reunificação é um palácio na cidade de Ho Chi Minh, Vietname.

Este palácio foi construído pelos colonos franceses em 1868 e terminado em 1873. Foi usado pelo governador francês do Vietname do Sul até 1954. 
Em 1955, foi entregue a Ngo Dinh Diem.

Durante a Guerra do Vietname era o palácio presidencial da república do Vietname. Todo o perímetro do palácio é guardado por um portão de ferro enorme. Após esse portão, o palácio tem o paisagismo de jardins e um bosque. 





HISTÓRIA
Antes, este Palácio era conhecido como Palácio da Independência - foi construído no local do antigo Norodom Palace. 
Foi projectado pelo arquitecto Ngo Viet Thu como a casa e o local de trabalho do presidente do Vietname do Sul durante a Guerra do Vietname e foi o local da entrega oficial do poder durante a queda de Saigão em 30 de abril de 1975, quando um tanque do Vietname do Norte rompeu as suas portas. 





Eu junto ao Mercedes Benz W110 - matricula VN-13-78




quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

PRAIA - HALONG BAY


Chegou o momento de ir conhecer a praia, na Baía de Halong 

A Guia avisou que quem quisesse, podia subir ao topo desta montanha 

pois há um miradouro com uma vista magnífica...


Todos os barcos trazem um transporte anexo que leva os turistas 
para diversos passeios pela Baía
Na imagem um desses "atrelados" chega à praia com pessoas vindas dos barcos
«A Viagem foi simplesmente... Apaixonante!»
Colorida, afectuosa, repleta de sorrisos...


Vários grupos que visitam a praia fazem a foto para mais tarde recordar

O aviso para quem pretende subir ao ponto mais alto da montanha

É difícil e perigosa a subida



Mais parece uma visão do Paraíso! 

Aqui, cada um faz o que mais gosta: senta-se e lê um livro, deita-se na areia,

jogam à bola, aprecia-se a belíssima paisagem 

ou anda a fazer fotos, como eu...





Vem pessoas de todos os barcos

Aqui ficam 3 horas a desfrutar da fabulosa paisagem 

muitos vão banhar-se, 

eu fui molhar os pés nas turquesas águas da Baía de Halong



aproxima-se o espectáculo do pôr do sol

muitas pessoas posicionam-se numa das pontas da ilha, 

para apreciar esse momento inesquecível 


e, finalmente chega a hora de voltarmos para o nosso barco 

cá vai o grupo com a Guia - obrigatório o uso do colete 


domingo, 9 de novembro de 2014

“Há males que vêm para o bem”


A imagem acima faz parte do meu álbum 
"Percursos de Luz"

Este foi um dos lugares no meu percurso de candeeiros, 

que tenho encontrado pelo Mundo! 

Mesmo na "Baía de Halong" eu tive a LUZ no meu caminho.

Localizada no litoral norte do Vietname, é certamente 
uma das maravilhas naturais deste país. 
Trata-se de uma enorme baía mágica e de grande beleza, 
onde mais de três mil ilhotas de rocha calcária 
se levantam de forma impressionante das águas do mar.



nunca me vou cansar de ver, rever e dar a conhecer 

as imagens desta bela e enorme baía mágica

Halong Bay, que literalmente significa 
“baía onde desceu o dragão”, 
é Património Mundial da Unesco e situa-se na província 
de Quàng Ninh. É constituída por milhares de monólitos 
de calcário, nos mais variados tamanhos e feitios, 
repletos de vegetação densa, que emergem das águas verdes 
do mar e pelo meio deles 
existem pequenas aldeias flutuantes.

Vilas flutuantes de pescadores
Uma comunidade de cerca de 1600 pessoas, que se 
dedica especialmente à pesca, vive em Halong Bay 
e está espalhada por várias vilas flutuantes. 
Pode vê-las a partir dos passeios de barco 
ou no seu próprio caiaque. 
Os contrastes das cores das casinhas com o mar 
e a vegetação são impressionantes. 




nestas aldeias flutuantes, alguns elementos das famílias 

também aproveitam o negócio do turismo, 

colocam nos seus barcos as mercadorias, 

que andam a vender aos turistas que permanecem 

2 ou 3 dias na Baía


na imagem abaixo, "momentos de lazer" 

que alguns turistas escolhem fazer...


“Há males que vêm para o bem”
Quem nunca ouviu a mãe, avó ou qualquer parente dizendo o ditado acima? 
Quando eu era criança, questionava a veracidade dessa frase. 
Porém, alguns fatos recentes me fizeram ver que isso 
é uma das coisas mais certas que existem.
Tomar decisões geralmente não é fácil. 
Foi o que aconteceu no início de 2013, depois de 2 meses em conversações 
para uma viagem muito desejada ao SENEGAL 
quando recebi não atrás de não...
De repente, diante da funcionária da agência de viagens, 
olhei para um folheto e vejo a viagem ao VIETNAME...
sou muito impulsiva e vivo de "momentos repentinos" 
disse-lhe: faça o orçamento desta viagem para eu ir sozinha...
e, num instante tinha o orçamento diante dos meus olhos e digo-lhe: 
Avance, é mesmo para aí que vou! 
Foi a melhor decisão que tomei naquele momento, 
em vez de ficar a chorar pelos cantos por não poder realizar a viagem que gostaria 
Assim pude conhecer este magnífico lugar do Mundo!


domingo, 29 de junho de 2014

WATER PUPPET THEATRE - THANG LONG


O teatro aquático de fantoches (em vietnamita: múa rối nước) 
é uma modalidade de teatro de fantoches, 
uma manifestação cultural característica do Vietnam. 

No Thăng Long (Teatro Aquático de Hanói) o ingresso custa 40.000 đ 

Quem deseje fotografar ou filmar deve pagar 
1 ou 5 dólares americanos extras, respectivamente...

Na foto a seguir vê-se a moça que começou a apresentar o espectáculo! Falam no seu dialecto, mas estão sempre a passar legendas em inglês...




O espectador recebe programas em vários idiomas, 
além do vietnamita (em inglês, francês, japonês e chinês), 
o mesmo ocorrendo com os anúncios. 
O espetáculo é musicado por uma pequena orquestra 
- neste caso estas 3 SENHORAS faziam parte da orquestra - 
(que conta, inclusive, com um monocórdio típico vietnamita, 
chamado Đàn Bầu), que toca durante toda a apresentação. 
A orquestra fica posicionada a um lado do "palco", 
que na verdade é uma espécie de piscina ou tanque.
O "palco"- Originalmente este tanque era a lagoa da aldeia, 
ou mesmo um lago próximo. 
No tanque, os protagonistas são instalados sobre postes feitos de bambu, 
que ficam submersos enquanto os bonecos ficam sobre a superfície. 
Ao fundo deste local está uma cortina, também feita de bambu.







sábado, 14 de junho de 2014

MERCADO DONG XUAN - BAIRRO ANTIGO DE HANÓI


No Bairro Antigo de Hanói encontramos todo o movimento louco da capital 
de um dos países do sudeste asiático que mais cresce 
e mais pujante a nível económico se vem mostrando. 

No rés-do-chão de cada edifício não se encontra outra coisa senão lojas. 
Nas ruas estreitas à sua porta, mais comércio. 
Ou então, 
banquinhos com os locais lá sentados a conversar, jogar ou comer. 
Vida de rua. Intensa.



As ruas aqui neste bairro ganham o nome do ofício 

ou da actividade comercial que aí é explorada. 

Tudo bem dividido, alguma organização no meio do caos. 

Aqui fica o mercado Dong Xuan onde caminhei 

por entre os vendedores de frutas e legumes variados e coloridos, 

especiarias, carnes, peixes, rãs e outros “alimentos” 

que nem suspeitamos o que sejam.






Supostamente um talho de rua

esta vendedora mostrava orgulhosamente uma peça de carne, 

ninguém trabalha de pé, 

todos sentados vão fazendo o seu negócio...





em qualquer lugar se cozinha, 

sem cuidado de ver o que está ao lado, 

neste caso uma motoreta, 

com o tanque cheio de gasolina, o perigo que é...!