sexta-feira, 12 de maio de 2017

Verticalidade da arquitectura



A rota vermelha teve início e, a primeira passagem/paragem 

é logo HONG KONG CONVENTION and EXHIBITION CENTRE, 

numa rotunda onde está a GOLDEN BAUHINIA SQUARE. 

The bauhinia is the emblem of Hong Kong, 

nos comentários irei fazer referência a este tema.




a rota continua e, começamos a ver 

a grandiosidade dos edifícios, 

de pescoço virado para o alto, é só arranha-céus, 

cada um maior que o outro...







em alguns destaca-se a sua arquitectura, 

as nuvens reflectem nos seus vidros espelhados




Romain Jacquet-Lagréze captou a verticalidade da arquitectura 

de Hong Kong em imensas fotografias, 

eu fiz o mesmo, é impossível ficar indiferente!

 . . . / . . . 

O fotógrafo alemão Michael Wolf também captou 

a cultura de altos edifícios antigos em Hong Kong, 

que tem mais prédios acima dos 150 metros 

do que, qualquer outra cidade no mundo!





entretanto, ia-me cruzando com os "bondinhos" 

eléctricos de dois andares que circulam por todo o lado





Finalmente... chegamos ao PEAK 

nesta paragem o bus quase fica vazio, 

saem muitos turistas para visitar "The Peak" 

mas, como eu ainda queria fazer o "Night Tour" 

não podia parar aqui, 

fica para outra ocasião...



quarta-feira, 10 de maio de 2017

BIG BUS NIGHT TOUR



Ora bem, era o MEU DIA 

e, eu continuava, sem desanimar à procura do "BIG BUS" 

vi o edifício dos "Correios" - General Post Office, 

tudo era novidade para mim 

e tudo eu captava com a minha máquina, 

continuava andando pela tal passagem superior 

e estava muito próximo do Pier principal




continuava perguntando a todos 

e, ao mesmo tempo também pedia 

que fizessem uma foto minha, 

com a roda gigante, de fundo ...

quando, de repente vejo o edifício "Central Pier" 

e, os tais autocarros que eu procurava ansiosamente 

há quase 3 horas. 

Finalmente a minha persistência e teimosia 

bem como, a minha curiosidade foram premiadas. 

Vou já comprar os meus passeios de 48 horas!




desci ao piso térreo e, fui captar imagens do "Star Ferry" 

que faz a ligação de Hong Kong com a península de Kowloon; 

vi também o edifício do "Museu Marítimo"





e, finalmente fui comprar os meus tickets, 

para circular por várias rotas no BIGBUS HONG KONG




como já tinha explicado no outro post, 

a minha intenção era fazer este passeio na 5ª e 6ª feira, 

pois até tinha bilhete de 24h para o "Metro", 

só que... ao falar com a senhora que me vendeu o pacote de 48h 

disse-lhe que era o dia do meu aniversário 

e ela acabou por me oferecer esta tarde GRATUITA... 

Mas, eu não vou em cantigas! 

Já tenho muitos anos disto e a experiência é um dado adquirido, 

e disse-lhe: tem a certeza que na 6ª feira às 15h 15m 

ainda me deixam circular nos vossos Bus? 

Huummm, eu não estou muito certa disso...faz as 48h 

e...para que não houvesse confusões 

ela escreveu (como podem ver) 20/04 + 21/04 Full day

ok... assim fico mais confiante




Ela foi muito querida, deu-me os parabéns

e disse: Vá já ao PEAK... hoje, no dia do birthday

Pronto, esqueci logo que tinha bilhete de 24h de metro, 

entrei no primeiro bus que saiu na rota vermelha, 

pois era esse que passava no Peak, 

mas depois ao perguntar a que horas sairia 

o BUS do Tour nocturno vi que não dava tempo 

para fazer a rota vermelha com paragem no Peak...




decidi fazer a rota vermelha completa sem paragens

e, quando terminou, ali no "Central Pier" 

10 minutos depois começou o "Night Tour" 

e, lá fui eu outra vez num outro Tour. 

Comprei o pacote às 15h 13m 

mas nunca mais parei, 

foi uma tarde muito bem aproveitada. 

O "Night Tour" começou às 18h 15m 

e terminou do outro lado, em Kowloon, às 19h 45m. 

Uma prenda de aniversário soube-me bem, 

foi mesmo uma surpresa, mas é porque "mereço"!

domingo, 7 de maio de 2017

em cada esquina, uma descoberta


No dia do meu aniversário decidi ir à procura do BIG BUS 

para comprar bilhete de 48 horas, 

(seria para 5ª e 6ª feira) 

é assim que faço nas grandes cidades 

e, sinto que, para mim 

é a melhor forma de conhecer uma grande cidade, 

como HONG KONG. 




Então, fui de Metro até à estação CENTRAL 

que, é como aqui, em Lisboa, a estação BAIXA-CHIADO...

e, sabendo que queria visitar vários lugares 

decidi comprar o bilhete de metro para "24 horas - um dia"

...iria aproveitar e passar de linha para linha 

e de estação para estação, 

havia muito que ver e aproveitar! 

Mas a minha prioridade era mesmo encontrar o "Big Bus" 

e ficar já com os bilhetes comprados para os dois dias. 

Eu perguntava em todas as esquinas 

e ninguém me sabia dizer 

onde tinha início a rota do Big Bus. 

Saí nesta saída e, 

Ai...se eu soubesse!!! 

ia logo para "Central Piers" 

mas nada, ninguém me sabia dar essa informação.





nesta máquina 

comprava-se o bilhete para um único dia no metro...




subi a uma passagem superior, tipo corredor/passadeira 

onde os peões vão desde ali, a estação Central 

até ao cais marítimo principal, mas eu não sabia disso, 

apenas subi para percorrer o caminho para o outro lado da rua 

e continuava a perguntar. 

Lá de cima era esta a vista que eu tinha, 

autocarros, táxis, um movimento de carros enorme...






também vi este jardim numa rotunda

e, de repente olho para o céu 

e começo a ver os enormes arranha-céus 

e, lá continuava a tal passadeira superior, 

eram quilómetros 

e eu, ia... sem saber para onde!





vi um lugar relaxante, com repuxos de água 

e as pessoas ali se sentavam... 

por mim passavam executivos de gravata e fato 

e eu a todos perguntava 

e, ninguém me dizia onde encontrar o Big Bus...




continuava... porque sou persistente, não desisto 

e tenho outra qualidade: ser curiosa 

e, só pensava... "vou vendo já esta zona, fica vista" 

de repente, avisto uma roda gigante e o Victoria Harbour

ok... pensei: "vou fazer umas fotos" 

e até gosto de ver o vai-vem dos barcos...

Estava a descobrir uma outra parte da cidade 

diferente daquela onde eu estava alojada...



sábado, 29 de abril de 2017

EMIRATES versus QATAR



Finalmente chegou o dia de fazer a minha estreia nesta Companhia Aérea, considerada por muitos como a Melhor do Mundo - EMIRATES. 

Confesso que ansiava por essa experiência pois, só ouvia dizer maravilhas e eu, só falo (bem ou mal) depois de experimentar 
e, hoje aqui estou para dizer de minha justiça. 

O 1º voo foi de Lisboa para Dubai num Boeing 777 mas sinceramente não sei o modelo exacto pois como fui à janela nem me pareceu muito apertado... 
como tinha viajado tanto em 2012 como em 2013 pela QATAR e surpreenderam-me ao darem um kit de viagem fantástico, para mim foi a 1ª vez que recebi e viajo sempre em ECONÓMICA... 
aquilo que agora chamam de "amenities" 
pois, 
convenci-me que a tal "melhor companhia aérea do mundo - Emirates" não ficaria atrás da Qatar 
e, quando vi que não havia kit algum, 
logo eu que não levei os que tenho da Qatar... 
pois preciso de tapar os olhos por causa da claridade 
dirigi-me a uma hospedeira e perguntei a razão de não ter pelo menos "eye mask" pois faz-me muita diferença a claridade e ela respondeu: 
Já tivemos em Económica 
mas agora é só para a First Class e Business Class... 
passei-me!

Eu disse-lhe que ia fazer 2 voos seguidos de longo curso com muitas horas e precisava descansar... mas, pouco se importou.
Pois... 
na QATAR deram à classe económica 
e... 
estes da Emirates consideram a classe económica como "lixo", será? 

OK Meus Amigos que têm dito maravilhas da Emirates, com certeza referem-se às Classes Favorecidas, mas posso-vos garantir que na Económica não existem maravilhas!





OK o primeiro voo terminou 
e fazendo uma escala curta no Dubai, 
chega o momento de entrar no Airbus A380-800 também da Emirates - considerado o maior avião do Mundo! 

Sim, aqui nota-se alguma diferença... no conforto e no espaço!
Mais nada... tudo na mesma, 

nada de amenities 
e, algo que me irritou e de que maneira... 
logo no início da viagem começam a distribuir "Menus" 
a todas as pessoas - tenho aqui à minha frente o menu da viagem do Dubai para Hong Kong ...e, havia duas alternativas de comida: 
1 - Chicken congee
2 - Cheese omolette
como na viagem anterior já tinha comido chicken aqui escolhi omolette
Ora bem, não há!!!
O quê?
Não hááááááá ..... só podem estar a brincar comigo!!! 

Já viajei em várias companhias aéreas e NUNCA me disseram NÃO HÁ. Lá tive que comer outra vez chicken... inadmissível 
e eu estava nas primeiras 10 filas do avião... 
ainda se estivesse na última fila, acredito que tivesse acabado, 
agora nas primeiras dez...
não gozem comigo...





Podem já ver que não me agradou a EMIRATES

Tinha-me esquecido destas peripécias da viagem de IDA
e, chega a viagem da VOLTA... 

saio de Hong Kong outra vez num Airbus A380-800 de noite e por acaso no balcão do check-in fiz um choradinho e lá me deram um lugar à janela - abençoado lugar, deu para esticar a perna direita e tudo... dormi umas seis horas e tudo correu bem.

Depois no Dubai venho num Boeing 777, que não sei qual o modelo, só sei que vim tão entalada, apertadíssima como num dos aviões da TAP ou outra companhia qualquer... horrível 

Tive o azar de não apanhar janela 

Tive o azar de apanhar uma brasileira 
como hospedeira que servia as refeições 
e, como diabética que sou, não podendo comer aqueles bolos intragáveis que dão a bordo, 
comi o meu croissant e pedi, por favor outro croissant... 
ora bem, o que fui fazer? 

Ela não gostou e disse: no fim vejo se sobrou algum... 

só que, eu sou muito observadora 
e ai de quem me pise os calos 

calhou ver no outro corredor uma hospedeira com um tabuleiro onde levava apenas um croissant e pensei: 
deve ser para mim...!

Mas, a tal hospedeira foi abordada por uma colega 
que estava a dar-lhe um raspanete em inglês 
e eu percebi tudo, 
que não devia dar um 2º croissant

Pensei cá com os meus botões: 
Fogo! 
foi a 1ª vez que pedi um 2º croissant e esta companhia com fama de ser a melhor, é tão pobrezinha que não pode dar um 2º croissant...? 
Por acaso aquele não era para mim... 




A história continua... com a tal brasileira... antipática!
Vem com as cafeteiras do café e do chá e eu pergunto-lhe:
e, o croissant...?
Fingiu que se tinha esquecido e disse:
Ah vou ver se há!


entretanto o meu parceiro do lado, por acaso, um tipo todo BOM... 
não tinha comido e ela pergunta-lhe o porquê? 
Ele estrangeiro diz-lhe em inglês que queria dieta vegetariana 
...e não pediu antecipadamente etc e tal 
e ela pensando que eu só entendia português, 
porque ela falava comigo em "brasileiro" 
disponibiliza-se para ir buscar tudo o que podia para o tipo todo BOM
Ai... começo a ferver!!!


Passa no corredor uma outra hospedeira e peço-lhe o croissant
(não expliquei que já tinha pedido à outra)
e esta, muito simpática foi buscar um croissant sem qualquer problema!
...
No fim, depois de eu ter comido o 2º croissant e de terem recolhido todos os tabuleiros 
vem a brasileira com o croissant na mão, 
apeteceu-me mandá-la a um certo sítio, 
mas fiquei com ele 
e deixei-o lá metido na gaveta das revistas, que o coma ela...

Chegou a hora da outra refeição - a tal que distribuem os menus para nós "escolhermos" entre as alternativas...aqui havia:
1 - frango
2 - carne de vaca
eu como não gosto de carne de vaca aqui quis frango
e, a tal brasileira, que me saiu na rifa disse:
Já não há frango, vai ter que comer a carne de vaca.

OH DEUSES segurem-me!

Possas! nunca me tinham dito noutras companhias que NÃO HÁ
na Emirates por duas vezes disseram-me NÃO HÁ
e, lá tive que comer aquela carne horrível
quase nada comi 
e numa viagem de 8 horas, pouco ou nada comer para uma diabética... 
é péssimo! 

Mas, tem coisas boas, como na 3ª foto ver os carrinhos de bebé que disponibilizam para quem viaja com crianças, à disposição, pelo menos no aeroporto do Dubai, vi eu. 

E, como não me calo 
fui hoje pesquisar e descobri um artigo onde diz que 
há sim amenities para a Classe Económica. 
Vou reclamar!
Podem ter a certeza que não me fico...

(o artigo vou colocar nos comentários)

Aqui está a minha análise: 
entre a Emirates e a Qatar, prefiro a Qatar.

terça-feira, 7 de março de 2017

Gastronomia no Vietname



Na minha visita ao VIETNAME 

fiquei rendida à "Gastronomia" 

Tudo tão bem confeccionado 

e com excelente apresentação. 














Lamento não saber o nome 

de todos estes pratos que comi... 

aconteceu o mesmo na minha visita à Índia, 

comi especialidades que não sei o nome, 

mas adorei tudo o que punham à minha frente 

. . . 

nesta imagem uma excelente sopa








e, para finalizar ... uma óptima sobremesa!



sexta-feira, 27 de maio de 2016

PARABÉNS pelo 4º aniversário!


Faz 4 anos que dei início a este blog.

Está de Parabéns o "Oriente versus Ocidente"

Vim apaixonada da viagem à Tailândia e criei este blog para ir mostrando o Oriente, através do meu olhar... 
no ano seguinte fui ao Vietname e assim fui contando histórias das minhas viagens pela Ásia. 

É verdade que o blog está parado desde Janeiro de 2015 - no ano passado não festejei o seu 3º aniversário, passou despercebido - mas hoje sem querer vim rever algumas coisas e apercebi-me do seu 4º aniversário.

Manter vários blogues ao mesmo tempo dá muito trabalho, daí que... algo fica para trás - aliás, este blogue tem tido muito poucas visitas, apenas tenho um fã incondicional do Oriente, o Amigo Paulo, do "Intemporal" que vinha assiduamente visitar e deixar um comentário.

Tenho tantas coisas a agradecer. 

Mas hoje não vim falar de números, de seguidores, de visitas e comentários, no entanto seria mentira dizer que isso não é importante.
É mesmo muito importante, para os que visitam e para mim!

Vim abrir o meu coração para agradecer, para dizer o quanto esta data é especial.

Exactamente há quatro anos atrás, no dia 27 de Maio de 2012, eu criei sozinha este novo blogue.  

Ah, eu só sabia que queria falar sobre as minhas viagens ao Oriente - as minhas experiências por lá, aventuras da minha vivência.

Partilhar tudo aquilo que tanto amo e me faz bem. 
Quero dividir um pedacinho do meu coração aqui, com vocês. 

O que mais me orgulhou foi um dos meus posts ter sido muito útil ao amigo Paulo, que quis, numa das suas inúmeras viagens a Banguekok, reservar um quarto no mesmo hotel onde fiquei, pois o post que fiz sobre o mesmo, deixou-o encantado.

Oh como foi bom saber que serviu para alguma coisa, aquilo que aqui partilhei.

E este amor que tenho por tudo que publico aqui, que compartilho com vocês, é imenso. 

Hoje volto a publicar algo sobre o Oriente, neste caso, o Vietname - os seus extensos campos de arrozais.




De seguida, partilho imagens do Antigo Palácio Presidencial ou Palácio da Reunificação – Uma bela construção, cercada por jardins, actualmente aberto apenas para visitas. 
No interior do palácio, percorri todas as salas, que são decorados com sofisticados lustres e móveis da época.
O Palácio da Reunificação é um palácio na cidade de Ho Chi Minh, Vietname.

Este palácio foi construído pelos colonos franceses em 1868 e terminado em 1873. Foi usado pelo governador francês do Vietname do Sul até 1954. 
Em 1955, foi entregue a Ngo Dinh Diem.

Durante a Guerra do Vietname era o palácio presidencial da república do Vietname. Todo o perímetro do palácio é guardado por um portão de ferro enorme. Após esse portão, o palácio tem o paisagismo de jardins e um bosque. 





HISTÓRIA
Antes, este Palácio era conhecido como Palácio da Independência - foi construído no local do antigo Norodom Palace. 
Foi projectado pelo arquitecto Ngo Viet Thu como a casa e o local de trabalho do presidente do Vietname do Sul durante a Guerra do Vietname e foi o local da entrega oficial do poder durante a queda de Saigão em 30 de abril de 1975, quando um tanque do Vietname do Norte rompeu as suas portas. 





Eu junto ao Mercedes Benz W110 - matricula VN-13-78